ter. abr 23rd, 2019

Ano: 2019

“Pessoas morrerão se o senhor Adriano da Costa insistir em reduzir os serviços do HNAS”, diz Luiz de Deus em reunião no MPF

“Enquanto médico, afirmo que pessoas morrerão se o senhor Adriano Soares da Costa insistir em reduzir os serviços do Hospital Nair Alves de Souza. E se isso acontecer, eu mesmo me encarregarei de processá-lo”. Com essas palavras, o prefeito Luiz de Deus foi enfático ao se posicionar durante reunião que aconteceu na tarde desta quarta-feira (6), na sede do Ministério Público Federal, em Salvador, sobre a medida adotada pela Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) em suspender os serviços do Hospital Nair Alves de Souza em Paulo Afonso.

O encontro, realizado a pedido do Procurador Fernando Tulio da Silva, é mais um desdobramento para debater a transferência da gestão da unidade de saúde para a Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) e à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH). O prefeito compareceu acompanhado do secretário municipal de Saúde, Ivaldo Sales Júnior e do procurador Igor Montalvão.

A reunião teve como objetivo renovar o compromisso existente entre a Chesf, Univasf, EBSERH, Governo do Estado da Bahia e a Prefeitura Municipal de Paulo Afonso e, assim, destravar os impasses existentes, para que a transferência da gestão do HNAS seja feita o mais rápido possível e de maneira que não prejudique a população que utiliza os seus serviços. O Diretor Econômico-Financeiro, Adriano Soares da Costa, iniciou as explanações e falou sobre a situação econômica da Chesf e os motivos para redução dos serviços do HNAS e seu fechamento.

“O diretor da Chesf deixou claro que a companhia tem interesse em rever esse ofício. Segundo ele, essa discussão está a nível Federal, onde foi montada uma comissão interministerial para rever essa questão e esperamos que essa situação venha a ser resolvida”, afirma o procurado do município, Igor Montalvão.

Foto: Ascom/PMPA

O Procurador Fernando Tulio da Silva enfatizou que, a partir do momento que a Chesf iniciou a prestação de serviços na área de saúde, ela tem a obrigatoriedade de continuar a prestá-los até que a situação da transferência do HNAS seja resolvida. “É do interesse de todos nós, enquanto cidadãos, que a situação do HNAS seja resolvida e que os serviços continuem sendo prestados de maneira que haja uma melhoria na manutenção dos serviços”, destacou o Procurador. Ele reforçou a importância do diálogo para que as partes envolvidas chegassem a um acordo que beneficiasse a todos, principalmente a população que depende dos serviços do hospital.

Após um extenso debate entre as partes envolvidas, ficou acordado que até o dia 22 do corrente mês, a Chesf, Governo do Estado e EBSERH, definirão os prazos para que os termos aditivos sejam expostos, além dos prazos definidos para o início da transferência da direção e manutenção do HNAS.

“Sentimos um avanço após essa reunião. Tanto na solução do ofício, bem como no andamento do projeto de reforma e ampliação do hospital, com os 30 leitos de UTI”, ressalta o secretário de Saúde, Ivaldo Sales Júnior.

Em relação ao documento enviado pela Chesf à Prefeitura, tratando da interrupção da prestação dos serviços do HNAS e ao seu provável fechamento, a companhia terá até esta sexta-feira (8), para comunicar a sua decisão – a suspensão do comunicado ou se vai recorrer a instâncias maiores, haja vista que a empresa já foi notificada pelo Ministério Público Federal da Bahia, a dar continuidade aos serviços de saúde prestados à população por meio do hospital.

A reunião contou com a presença do Procurador, Fernando Tulio da Silva; o prefeito de Paulo Afonso, Luiz Barbosa de Deus; o prefeito do município de Glória, Davi Cavalcanti; o procurador do município de Paulo Afonso, Igor Montalvão; o secretário de Saúde, Ivaldo Sales Júnior; o vereador Marconi Daniel; o Diretor Econômico-Financeiro da Chesf, Adriano Soares da Costa e seus advogados, além de representantes da Univasf, Conder e Governo do Estado da Bahia.

“Enquanto médico, afirmo que pessoas morrerão se o senhor Adriano Soares da Costa insistir em reduzir os serviços do Hospital Nair Alves de Souza. E se isso acontecer, eu mesmo me encarregarei de processá-lo”. Com essas palavras, o prefeito Luiz de Deus foi enfático ao se posicionar durante reunião que aconteceu na tarde desta quarta-feira (6), na sede do Ministério Público Federal, em Salvador, sobre a medida adotada pela Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) em suspender os serviços do Hospital Nair Alves de Souza em Paulo Afonso.

O encontro, realizado a pedido do Procurador Fernando Tulio da Silva, é mais um desdobramento para debater a transferência da gestão da unidade de saúde para a Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) e à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH). O prefeito compareceu acompanhado do secretário municipal de Saúde, Ivaldo Sales Júnior e do procurador Igor Montalvão.

A reunião teve como objetivo renovar o compromisso existente entre a Chesf, Univasf, EBSERH, Governo do Estado da Bahia e a Prefeitura Municipal de Paulo Afonso e, assim, destravar os impasses existentes, para que a transferência da gestão do HNAS seja feita o mais rápido possível e de maneira que não prejudique a população que utiliza os seus serviços. O Diretor Econômico-Financeiro, Adriano Soares da Costa, iniciou as explanações e falou sobre a situação econômica da Chesf e os motivos para redução dos serviços do HNAS e seu fechamento.

“O diretor da Chesf deixou claro que a companhia tem interesse em rever esse ofício. Segundo ele, essa discussão está a nível Federal, onde foi montada uma comissão interministerial para rever essa questão e esperamos que essa situação venha a ser resolvida”, afirma o procurado do município, Igor Montalvão.

Foto: Ascom/PMPA

O Procurador Fernando Tulio da Silva enfatizou que, a partir do momento que a Chesf iniciou a prestação de serviços na área de saúde, ela tem a obrigatoriedade de continuar a prestá-los até que a situação da transferência do HNAS seja resolvida. “É do interesse de todos nós, enquanto cidadãos, que a situação do HNAS seja resolvida e que os serviços continuem sendo prestados de maneira que haja uma melhoria na manutenção dos serviços”, destacou o Procurador. Ele reforçou a importância do diálogo para que as partes envolvidas chegassem a um acordo que beneficiasse a todos, principalmente a população que depende dos serviços do hospital.

Após um extenso debate entre as partes envolvidas, ficou acordado que até o dia 22 do corrente mês, a Chesf, Governo do Estado e EBSERH, definirão os prazos para que os termos aditivos sejam expostos, além dos prazos definidos para o início da transferência da direção e manutenção do HNAS.

“Sentimos um avanço após essa reunião. Tanto na solução do ofício, bem como no andamento do projeto de reforma e ampliação do hospital, com os 30 leitos de UTI”, ressalta o secretário de Saúde, Ivaldo Sales Júnior.

Em relação ao documento enviado pela Chesf à Prefeitura, tratando da interrupção da prestação dos serviços do HNAS e ao seu provável fechamento, a companhia terá até esta sexta-feira (8), para comunicar a sua decisão – a suspensão do comunicado ou se vai recorrer a instâncias maiores, haja vista que a empresa já foi notificada pelo Ministério Público Federal da Bahia, a dar continuidade aos serviços de saúde prestados à população por meio do hospital.

A reunião contou com a presença do Procurador, Fernando Tulio da Silva; o prefeito de Paulo Afonso, Luiz Barbosa de Deus; o prefeito do município de Glória, Davi Cavalcanti; o procurador do município de Paulo Afonso, Igor Montalvão; o secretário de Saúde, Ivaldo Sales Júnior; o vereador Marconi Daniel; o Diretor Econômico-Financeiro da Chesf, Adriano Soares da Costa e seus advogados, além de representantes da Univasf, Conder e Governo do Estado da Bahia.

Fonte: http://www.pa4.com.br

Flávio leva ao Senado assessores que defenderam família

SÃO PAULO – O senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) levou para o seu gabinete no Congresso três dos quatros advogados que defenderam sua família em processos particulares na Justiça enquanto o assessoravam na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

Fernando Nascimento Pessoa, Lygia Regina de Oliveira Martan e Miguel Ângelo Braga Grillo estão entre os 14 assessores parlamentares comissionados (sem concurso) nomeados por Flávio em seu gabinete no início do mês. Cada um deles deve receber salário de R$ 13,7 mil do Senado.

Na semana passada, o “Estado” revelou que o trio, junto com o advogado Victor Granado Alves, também ex-assessor de Flávio na Alerj, figuram em pelo menos 52 processos da família Bolsonaro que tramitam no Tribunal de Justiça do Rio, no Superior Tribunal de Justiça (STJ), na Justiça Federal e no Supremo Tribunal Federal.

Entre os casos estão a contestação a uma multa de trânsito aplicada a Fernanda Bolsonaro, mulher do senador, um processo de ameaça envolvendo a primeira-dama Michelle Bolsonaro, a denúncia por pesca ilegal contra o presidente Jair Bolsonaro e uma ação de Flávio contra o cancelamento de seu registro na Ordem dos Advogados do Brasil do Rio (OAB-RJ).

À época do processo, em 2012, a OAB-RJ, solicitou que a Justiça enviasse cópia do processo ao Ministério Público do Rio e para a Alerj para investigar possível ato de improbidade adminisnitrativa pelo então deputado estadual. Além da assinatura dos assessores Lygia Martan e Miguel Grillo, a ação continha o brasão do Estado do Rio, o timbre da Assembleia e a inscrição “gabinete do deputado estadual Flávio Bolsonaro”.

“É que esta ação, que tem cunho estritamente pessoal, em nada pertinente ao mandato do autor como parlamentar, pode ter sido ajuizada com a utilização de recursos humanos e materiais de seu gabinete na Alerj”, apontou à época o advogado Guilherme Peres de Oliveira, que defendeu a OAB-RJ no caso. Nennhum procedimento foi aberto para investigar o caso.

Na semana passada, Flávio Bolsonaro afirmou ao “Estado”, por meio de nota, que “não há impedimento legal ou ético na atuação desses profissionais em processos particulares” e que os assessores parlamentares “só são remunerados ‘ad exitum’, ou seja, quando a ação é vitoriosa”.

O “Estado” questionou a assessoria do senador se ele firmou contratos específicos para cada processo particular e se seus assessores receberam honorários advocatícios quando o defenderam em ações sem relação com o mandato, mas não obteve resposta. Flávio também não comentou o fato de ter usado a estrutura do gabinete no processo contra a OAB-RJ em 2012.

Flávio Bolsonaro é um dos 27 políticos do Rio de Janeiro investigados por suspeita de desvio de recursos públicos em seus gabinetes na Alerj. Relatórios de inteligência do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) mostraram que movimentações financeiras atípicas nas contas de Flávio e de seu ex-assessor Fabrício Queiroz. Ambos negam irregularidades.

Homem é morto a tiros no BTN 3, em Paulo Afonso

Um homem identificado como José Henrique Silva Mota, foi morto a tiros na tarde desta quinta-feira (31), por volta das 13 horas, na Rua Portinari, no BTN 3, em Paulo Afonso. De acordo com Polícia Militar, testemunhas relataram ter visto dois homens em uma moto, modelo Titan se aproximarem da vítima e efetuarem os disparos.

Ainda conforme a polícia, uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), foi acionada. No local, o médico socorrista apenas atestou o óbito.

A Polícia Militar isolou o local até a chegada do DPT, que realizou a perícia no local e encaminhou o corpo para o Instituto Médico Legal de Paulo Afonso.

A autoria e motivação do crime serão investigadas pela Polícia Civil.


Grávida de uma menina, Claudia Leitte relata ‘fome de lascar’ e explica significado de Bela

Claudia Leitte “causou” no Domingão do Faustão deste domingo, 3/02. Uma das atrações do “Super Ding Dong”, a cantora não se contentou em cantar alguns de seus sucessos e revelou uma supernovidade em primeira mão: está grávida de três meses da primeira filha, Bela.

Casada com o empresário Márcio Pedreira, a loira já é mãe de dois meninos: Davi, de 10 anos, e Rafael, de 6 anos. A notícia causou um alvoroço entre os fãs e o nome da cantora foi parar entre os assuntos mais comentados nas redes sociais.

Depois da revelação, a bailarina Tati Scarletti bateu um papo com a cantora no bastidor do programa. Segundo Claudinha, ela e o marido já estavam na expectativa de aumentar a família.

“A gente estava nessa onda de deixar acontecer. Acho que planejamento sempre existe na cabeça da gente, mas está sendo melhor, muito melhor do que a gente imaginou.”

Claudinha também explicou o motivo pelo qual optou por dar o nome de Bela à filha. “Eu tinha na cabeça assim: se fosse menino, Davi sugeriu Bernardo. E o outro nome seria Bela, porque significa prometida do Senhor. Os meus filhos têm nomes de origem hebraica, então queria que fosse assim”, explicou.

Quando questionada se algo mudou em sua rotina desde que descobriu a gravidez, a cantora falou que seu apetite aumentou. “Estou comendo de duas em duas horas, é um pouquinho mais do que eu costumava comer. Primeiro porque a fome é de lascar e, segundo, porque é um enjoo absurdo”, conta.

Jair Bolsonaro chora no hospital ao ouvir ‘Evidências’

Enquanto as articulações para escolher os novos presidentes do Senado e da Câmara esquentavam Brasília, Jair Bolsonaro divulgou um vídeo em que aparece enxugando lágrimas ao receber uma dupla de músicos em seu quarto do Hospital Albert Einstein.

A cantora identificada como Márcia executa o hit romântico “Evidências”, imortalizado pela dupla sertaneja Chitãozinho e Xororó. A letra de Paulo Sérgio Valle e José Augusto tem trechos que remetem aos desencontros políticos, principalmente em época de acordos que precedem votações secretas como as desta sexta no Congresso.

“Eu tenho medo de te dar meu coração e confessar que eu estou em suas mãos” é um verso que poderia satirizar a situação de Flávio Bolsonaro em relação a Renan Calheiros. Investigado no Rio, o filho do presidente suspendeu as críticas ao senador alagoano (odiado pela militância bolsonarista) porque sabe que pode precisar dele caso Renan seja eleito.

Vista aos olhos das articulações congressuais, a canção de amor parece uma coleção de práticas tradicionais no grande teatro da política, em versos como “Quando eu digo que não quero mais você / É porque eu te quero” ou “Eu me afasto e me defendo de você / Mas depois me entrego”.

Ou resume bem também os hábitos que precisam ser exercidos por políticos investigados, especialistas em “negar as aparências” e “disfarçar as evidências”.

Emirados Árabes Unidos recebe o papa em visita histórica

O papa Francisco chegou neste domingo à noite (3) aos Emirados Árabes Unidos, no que constitui a primeira visita de um chefe da Igreja Católica à Península Arábica, berço do Islã.

Antes de empreender a viagem aos Emirados, Francisco pediu neste domingo que “favoreçam com urgência o cumprimento dos acordos alcançados” para uma trégua na cidade portuária de Hodeida, no Iêmen, crucial para o acesso da ajuda humanitária.

A guerra no Iêmen opõe as forças pró-governo, apoiadas no terreno desde 2015 pela Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos, aos rebeldes huthis xiitas, respaldados pelo Irã e que controlam amplas zonas do país, incluindo a capital Sanaa.

O avião do chefe da Igreja Católica chegou ao Aeroporto de Abu Dhabi pouco antes das 22h00 locais (16h00 de Brasília). Antes de sair de Roma, Francisco escreveu no Twitter: “Estou partindo para os Emirados Árabes Unidos. Me dirijo a esse país como um irmão para escrevermos juntos uma página de diálogo e percorrermos juntos os caminhos de paz. Orem por mim!”.

A bordo do avião, o papa disse que soube que estava chovendo em Abu Dhabi. “Nesses países é visto como um sinal de bênção”, destacou.

Segundo o programa, esta visita será dominada pelo diálogo entre as religiões. Um encontro inter-religioso internacional está previsto para segunda-feira.

Neste domingo de manhã, o ambiente ao redor da Catedral São José de Abu Dhabi era o de dias importantes, constatou um repórter da AFP.

Os fiéis se aglomeravam perto da catedral, decorada com as cores do Vaticano e dos Emirados, para conseguir os últimos lugares para a missa papal de terça-feira, que se apresenta como a maior manifestação popular realizada neste país, com a presença de mais de 130 mil fiéis.

Com a aproximação da visita, o padre Elie Hachem, que oficia na Catedral de São José, está em êxtase e fala de algo “histórico”. Segundo ele, o papa vem com “uma mensagem de paz”.

Há cerca de um milhão de católicos neste país, adepto a um Islã moderado e cuja sociedade é bastante aberta ao mundo exterior. A maioria são trabalhadores asiáticos, que podem praticar a sua religião em oito igrejas.

Doris D’souza, que chegou especialmente para a ocasião de Goa (sudoeste da Índia), indica ter “aproveitado para assistir à missa” de terça, assim que soube da visita do papa.

Shane Gallagher, um irlandês expatriado que vive nos Emirados, declara estar “encantado” com a visita de Francisco e pelo fato de ocorrer em um país muçulmano. “Vamos ter uma ótima semana”, acredita.

“Acho que a visita será um testemunho incrível da tolerância dos Emirados Árabes Unidos”, acrescenta a americana Collins Cochet Ryan, de 39 anos.

Os responsáveis da federação não deixaram de insistir neste tema, em particular pelo encontro previsto entre o papa e o imã de Al-Azhar, a principal instituição do Islã sunita que fica no Cairo, o xeque Ahmed al-Tayeb.

Diferentemente do seu vizinho saudita, que proíbe a prática de outras religiões que não sejam o Islã, os Emirados Árabes Unidos querem projetar uma imagem de país tolerante.

Não obstante, as autoridades controlam as práticas religiosas e reprimem a contestação política e a exploração da religião, inclusive pelos adeptos de um Islã político, encarnado pela Irmandade Muçulmana.

Anwar Gargash, ministro das Relações Exteriores, fez alusão a isso neste domingo em um tuíte no qual critica o Catar, boicotado por seu país e três de seus aliados, que o acusam de apoiar islamitas radicais, o que Doha desmente.

O ministro destacou a diferença entre o “mufti do terrorismo”, em referência ao religioso Yusef al-Qardaui, considerado chefe espiritual da Irmandade Muçulmana, que é protegida pelo Catar, e o seu país, que acolhe um dos símbolos de “tolerância e amor”, que são o papa e o imã de Al-Azhar.

A organização Anistia Internacional pediu ao papa que coloque sobre a mesa em Abu Dhabi a questão do respeito aos direitos humanos e criticou que muitos dissidentes permaneçam detidos no país.

A Human Rights Watch também pediu neste domingo ao papa que aproveite a sua visita para falar da situação dos direitos humanos no Iêmen, onde os Emirados intervêm militarmente junto com a Arábia Saudita

Desde o início do seu pontificado, o papa viajou a vários países cuja população é majoritariamente muçulmana, como Egito, Azerbaijão, Bangladesh e Turquia. Em março viajará ao Marrocos.

Bolsonaro restringe direitos que segurado do INSS nem sabia que tinha

o caso do salário-maternidade, por exemplo, a medida provisória estabelece que o benefício deverá ser requerido até 180 dias após o parto ou adoção.

São tantas as mudanças previstas na Medida Provisória 871, assinada pelo presidente Jair Bolsonaro no dia 18 deste mês, que algumas delas pegaram a população de surpresa. Mas não pelas novas normas, e, sim, porque poucos sabiam que as regras antigas sequer existiam.

No caso do salário-maternidade, por exemplo, a MP estabelece que o benefício deverá ser requerido até 180 dias após o parto ou adoção. Antes, o prazo era de até cinco anos. Segundo o advogado João Badari, especialista em Direito Previdenciário, esse tempo era previsto no Código Civil.

Festas pagas são opção para curtir o 02 de fevereiro

Shows realizados no dia da Festa de Iemenjá reúnem nomes como Carlinhos Brown, Jau, Carla Cristina, Guig Ghetto e Ilê Aiyê

Para além da parte religiosa, no 02 de fevereiro, dia da Festa de Iemanjá, quem estiver em Salvador vai poder curtir também shows musicais que reúnem nomes como Claudia Leitte, Jorge Aragão, Carlinhos Brown, Jau, Carla Cristina, Guig Ghetto e Ilê Aiyê. Confira: