Blowjob

Caso rodoviária: senhor desmente que funcionária o agrediu com água (FOTO e VÍDEO)

 


Seu Dário e Luíza que trabalha na rodoviária de Paulo Afonso. Foto: PA4COM.BR

Desde a madrugada da última quarta-feira, 4 de outubro,  circula um vídeo na rede social Whatsapp, e daqui nas demais mídias, sites e rádios, em que aparece Luiza Maria da Silva, supostamente jogando água em um homem que estava sentado no banco da rodoviária de Paulo Afonso. Luiza trabalha no serviço geral da rodoviária há quatro anos, e depois da veiculação do vídeo vem sofrendo ameaças de linchamento, surras e sendo xingada na internet como se fosse o próprio demônio.

 

Luiza foi então à delegacia de atendimento à mulher de Paulo Afonso (DEAM) prestar queixa do ocorrido, e lá foi orientada a procurar as mídias e esclarecer o assunto.

 

Mais cedo, Luiza acompanhada da suposta vítima, o senhor Dario Ramos, procurou o Portal PA4, solicitou o espaço e nos deu a seguinte declaração:

 

“Eu peguei um balde e fui limpar lá no salão e ele estava deitado no banco. E eu pedi que ele se afastasse um pouco para que eu limpasse uma parte do banco, o  taxista tava lá do outro lado do banco  e chegou já com a câmara do celular ligada e falando junto com um monte de amigos dele que estavam lá, chegou dizendo que ia gravar e fazer uma denúncia contra mim, que ia para as rádios e que iria lascar comigo”, disse Luiza.

 

 

Perguntada se havia motivo para o taxista fazer isso, de forma premeditada, Luiz afirmou que o homem vem ‘implicando com ela’ porque há uma orientação para que se baixe o volume dos aparelhos de TV.

 

“A gente deixa só uma TV ligada e ele vai lá e coloca o som na maior altura, outro dia eu perguntei a uma moça se ela viu quem aumentou o volume e ela disse ‘foi aquele magro ali, chamou ele até de lagartixa.”

 

A suposta vítima fala

 

Dário Pereira Ramos, natural de Euclides da Cunha-BA, vendedor de bolos, disse que depois de vender sua mercadoria, e foi para a rodoviária ‘tomar umas’.  Hoje  acompanhou Luiza tanto à Deam como ao Portal PA4, e concedeu entrevista ao programa Radar 89′ da rádio Delmiro FM, afirmando que nada do que circula é verdade, inclusive que estava  com a roupa seca.

 

“Eu estava dormindo, mas ela não jogou água em mim não, não houve nada disso. Eu não sei porque esse camarada está contra a Luiza, eu do meu lado é quem devia acusar, mas se não aconteceu nada disso como é que eu posso acusar uma pessoa.”

 

 

O tribunal popular

 

Indignados, populares estão desde as primeiras horas da manhã dizendo que a mulher tem que sofrer as consequências, tem que sofrer e pagar pelo que fez. Sendo que a suposta vítima diz que não ver a hora de acabar a confusão.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

To use BrandCaptcha you must get an API Key